Curiosidades

Autor: Armínio Santos

gravura.gif

A gravura mais antiga – Remonta a 3300 a.C, retirada do sarcófago do faraó Tutankámon e mostra mulheres egípcias jogando um jogo de tabuleiro.

Os romanos antigos conheciam o xadrez? No filme Ben-Hur, estrelado por Charlton Heston, aparece rapidamente um tabuleiro de xadrez ricamente marchetado. Os romanos, provavelmente, conheceram o xadrez através dos gregos; preferiam, porém, o jogo de dados.

A época áurea do xadrez – Ocorreu durante certo período da idade média quando eram permitidas visitas de cavalheiros aos quartos das damas, desde que fossem para jogar xadrez. O elevado número de nascimentos oriundos deste costume, contudo, chamou a atenção da igreja, que conseguiu a proibição de tal prática.

Continuar a ler “Curiosidades”

Semifinal do Conquistense 2007

semifinal_2007.jpg

Terminou nesse último fim de semana, 16 e 17 de junho, a Semifinal do Conquistense de Xadrez 2007, com a participação de 19 jogadores. O torneio foi realizado na Biblioteca Municipal de Vitória da Conquista.

O campeonato teve como objetivo classificar 15 jogadores para a final do conquistense. Esses 15 jogadores se juntarão ao campeão do ano passado, Orlando Damasceno, e jogarão a final num sistema de eliminatórias, onde os confrontos serão em melhor de duas partidas. A tabela e todo o regulamento da final vai ser discutida em reunião da diretoria do clube e disponibilizado o mais breve possível.

Continuar a ler “Semifinal do Conquistense 2007”

Mikhail Tal

Em meados de 1860, a magnífica poetisa norte-americana, Emily Dickinson, escreveu: "O sucesso é mais doce\ A quem nunca sucede.\ A compreensão do néctar\ Requer severa sede.\Ninguém da Hoste ignara\ Que hoje desfila em Glória\ Pode entender a clara Derrota da Vitória\ Como esse- moribundo-\ Em cujo ouvido o escasso\Eco oco do triunfo\ Passa como um fracasso!\"

Sem dúvida, uma notável análise do real significado do sucesso na vida, diante do implacável adversário chamado tempo.

Mikhail Tal

No universo do xadrez, onde uma guerra surda de egos predomina, raros são aqueles que encaram a vitória ou a derrota com indiferença dentro da sábia visão de Emily Dickinson. Dos maiores enxadristas de todos tempos, pode-se dizer que apenas Mikhail Tal, “O mago de Riga” ou ainda “O mago dos magos”, pode atingir tão profunda perspectiva! Caso usemos a analogia das “Vidas Paralelas”, de Plutarco, Tal teria Mozart o correspondente na música, na pintura Leonardo e na religião estaria para São Francisco de Assis. A lógica enxadrística de Tal, nas palavras de um admirador, era a “lógica dos deuses”. Ninguém elevou mais o xadrez a categoria de arte do que ele.

Continuar a ler “Mikhail Tal”

Alekhine (parte 2)

O livro "O Príncipe", de Maquiavel é um valioso manual de manutenção de poder, útil para ditadores em várias épocas. Era o livro de cabeceira de Stálin. Exemplo disso é a análise, baseado em Maquivael, que Stálin faz do período de Ivan, o Terrível: "faltou a ele discernimento para eliminar cinco famílias importantes, que o ameaçavam, e consolidar o seu poder", dissera ele.

Continuar a ler “Alekhine (parte 2)”